Minhas minhocas não estão mais amarelando! – Meu santo composto #10

Por Letícia Maria Klein •
31 março 2020
E acho que descobri o porquê! No ano passado eu fiz um post contando que as minhocas do meu minhocário estavam ficando amarelas. Eu desconfiava que era pelo excesso de bananas e pó de café que eu estava colocando, que eram a maior parte dos resíduos orgânicos que eu gerava na época. Era maio.

Em outubro, eu troquei os baldes de lugar e tirei todo o adubo, o que deixou bastante espaço no minhocário. Foi mais ou menos na mesma época em que eu comecei a melhorar a minha alimentação em casa e diversificar frutas e verduras, o que gerou uma variedade de resíduos orgânicos. Assim como nós precisamos de uma alimentação rica e colorida, acho que as minhocas também precisam. Adivinha o que aconteceu? 

Minhocas do minhocário, mais rosadas do que amarelas
Minhocas do minhocário, mais rosadas do que amarelas
Elas voltaram a ter um aspecto mais saudável, mais rosadas do que amarelas

Mais minhocas; aqui dá para ver bem como elas estão mais rosadas
Mais minhocas; aqui dá para ver bem como elas estão mais rosadas
No fim de semana passado, eu fiz outra troca de baldes e usei o adubo para plantar sementes que havia aqui em casa: bucha vegetal (uma das minhas metas sustentáveis do ano), salsa lisa, hortelã, erva-cidreira e uma flor misteriosa.

Deixo os vasinhos na sacada do quarto, onde pega sol todos os dias, e molho diariamente também, segundo as recomendações. Estão nascendo algumas plantinhas, mas é algum outro ser vivo que estava no adubo. O que será que é? Se você sabe, me conte aqui nos comentários, por favor. 

Novas plantas: bucha vegetal, hortelã, erva-cidreira, salsa lisa e uma flor misteriosa
Novas plantas: bucha vegetal, hortelã, erva-cidreira, salsa lisa e uma flor misteriosa

Me diga também como anda o seu minhocário. As minhocas estão saudáveis?
Se você ainda não tem um (quê??? como assim?), já coloca na sua lista de afazeres da quarentena (só pra reforçar, fique em casa!). Existe também a composteira, que não tem minhocas, então nada de desculpas (ó, aqui tem a primeira composteira que eu fiz, pra te incentivar).

Um ecobeijo e até breve!
+

Semana mundial da água: 5 dicas para economizar água virtual

Por Letícia Maria Klein •
25 março 2020
O nosso consumo de água não se limita ao líquido que sai da torneira e do chuveiro. Existe muita água virtual circulando por aí em quase todos os produtos que compramos, de alimentos a calça jeans. Segundo o criador do conceito de pegada hídrica, o pesquisador holandês Arjen Hoekstra, o Brasil é o quinto país que mais exporta água incorporada ao processo produtivo. Só na exportação de produtos agropecuários já se vão 112 trilhões de litros

Assim, quando falamos em economia de água, não é somente fechar a torneira e tomar banhos curtos, mas ter um consumo consciente de outros produtos que precisam de água para serem fabricados. Alguma vez na vida você já pensou que desperdiçar comida é sinônimo de desperdício de água? Um quilo de carne bovina, por exemplo, precisa de mais de 15 mil litros desse líquido precioso para ser feito. 

Água virtual nos alimentos: a água que não vemos
Água virtual nos alimentos: a água que não vemos.

Como, então, você pode economizar a água que não vê? Vamos às dicas: 

  • Não deixe comida no prato e aproveite todas as partes dos alimentos. Se sobrar, use a imaginação para criar uma receita nova. Para qualquer eventual sobra ou parte que tenha estragado, coloque tudo no minhocário (como assim ainda não tem um? Aqui tem todos os posts sobre compostagem doméstica para você começar).

  • Ainda sobre alimentos, alguns precisam de mais água do que outros, como mostra a imagem abaixo. O site da Water Foortprint Network traz uma galeria de diversos produtos e a quantidade de água necessária a cada um deles em sua cadeia produtiva, além de dizer quais são as fontes de água (verde, azul e cinza, em termos técnicos, que significam, respectivamente, da chuva, doce e derivada de atividades domésticas ou da agricultura).

    Quantidade de água usada no processo produtivo de alimentos. Fonte: Exame.
    Quantidade de água usada no processo produtivo de alimentos. Fonte: Exame.

    A diferença na quantidade de água por alimento reflete o impacto ambiental da sua alimentação diária. Consumir mais vegetais e menos carne é uma forma de desperdiçar menos água e ser mais sustentável. Pensando nisso, como está sua dieta hoje?

  • Compre somente o necessário, mesmo! Como muitos produtos precisam de água para serem feitos (roupas, sapatos, brinquedos, maquiagem etc), é importante consumir somente o que precisa e fazer o melhor uso, para que o produto dure o máximo possível. Comprar de fornecedores locais e nacionais e dar o destino correto também são fatores importantes nessa hora.

  • Falando em compras, o que ajuda muito é adquirir itens usados, de roupas a eletrodomésticos. Comprar um produto usado significa dar mais tempo de uso a ele e, com isso, contribuir para a diminuição da produção de itens novos, que precisam de bens naturais e energia para serem produzidos. Além de economizar a água que seria usada na fabricação de um produto novo, você também economiza dinheiro e incentiva o consumo colaborativo.

  • Utilize seu kit lixo zero, faça compras a granel com seus próprios potes, substitua a sacola plástica, entre outros, para diminuir a quantidade de resíduos sólidos que você produz no seu dia a dia. A maior parte do que produzimos em termos de embalagem é plástico, que além de vir do petróleo, usa muita água no seu processo produtivo. Assim, cada embalagem que deixamos de gerar como resíduo e cada item descartável que recusamos são litros de água que economizamos. 

Quer saber exatamente qual é a quantidade de água necessária para manter o seu estilo de vida? Calcule a sua pegada hídrica aqui (em inglês, nas versões simplificada e estendida). 

Um ecobeijo e até breve!
+

Medidas de sustentabilidade na quarentena

Por Letícia Maria Klein •
19 março 2020
Chegou a hora de um movimento mundial em massa. As crises, e dentre elas estão as pandemias, servem para gerar reflexão e mudar padrões, levando a novos pensamentos, atitudes e estilos de vida. O novo coronavírus fez o mundo inteiro, sem hipérbole, ter os mesmos objetivos e estabelecer metas em comum para conter a propagação da doença. 

Como toda crise gera oportunidades, desde janeiro tem aparecido consequências positivas geradas pela Covid-19, como a diminuição da poluição na China e na Itália (devido à desaceleração das indústrias) e a retomada do sentimento de pertencimento à comunidade, com conversas a distância entre vizinhos e cantoria nas janelas. Esses são dois exemplos de cuidados do tripé da sustentabilidade de Satish Kumar. Para completar o trio “cuidar de si, do outro e do meio”, seguem abaixo algumas medidas sustentáveis para adotar durante a quarentena (e claro, depois dela também). 


 

  • Com tanto tempo em casa, fica mais fácil separar uma parte dele para você mesmo. Para se perceber, refletir sobre seus sentimentos e emoções, seus dias, sonhos e como transformá-los em realidade por meio de objetivos e metas. Separe um momento diário para se cuidar, meditar, se exercitar, dançar, ler, ver filmes, cozinhar, enfim, qualquer coisa que te faça sentir bem consigo mesmo e traga aquela sensação de aconchego.

  • Esta também é uma grande oportunidade para exercitar a caridade, a generosidade e a humildade. O mercado é um bom lugar para fazer isso: compre e consuma somente o suficiente para os próximos dias. Não precisa estocar comida para o ano. Vivemos em sociedade e estamos num momento em que o pensamento sobre o coletivo é essencial.

  • Quando fizer compras, já tenha em mente as receitas que você pode fazer naquela semana para que consiga utilizar todos os alimentos frescos e eles não estraguem, assim não tem desperdício de comida nem de dinheiro.

  • Outra dica importante em relação aos alimentos é utilizá-los integralmente, incluindo casca, sementes, folhas e talos. Além de diminuir o desperdício, você produz mais comidas a partir de uma. Alguns exemplos:
    - Casca e sementes de abóbora assadas com sal e azeite servem como aperitivo.
    - Folhas de cenoura podem ser usadas para fazer caldo de legumes ou cortadas e usadas como tempero.
    - Folhas de beterraba também são um ótimo aperitivo quando assadas com sal e azeite.
    - Sementes de melão deixadas de molho em água mora e depois batidas com água fresca viram leite vegetal.
    Neste post tem um passo a passo para você nunca mais desperdiçar comida na sua vida.

  • Como você passará mais tempo em casa, adote medidas de economia de eletricidade: feche ambientes em que o ar condicionado está ligado, apague luzes de ambientes vazios, tome banhos rápidos de até cinco minutos, aproveite o sol e o vento para secar roupas. Tem mais dicas para reduzir o consumo de energia elétrica aqui.

  • O mesmo vale para água: feche a torneira para ensaboar as mãos, escovar os dentes, fazer a barba etc, feche o chuveiro enquanto se ensaboa, reaproveite água fria do chuveiro para descarga e várias outras dicas de economia de água em casa que estão neste post.

  • Com mais tempo em casa, aproveite para dar muita atenção a suas plantas: ver se elas precisam de adubo (que você pode pegar do seu minhocário ou composteira), de um replantio, de um novo lugar na casa, de mais nutrientes (pode usar o biofertilizante do minhocário também). Conversar com elas também é importante, afinal, são seres vivos que moram na sua casa.

  • Brinque mais com seu bichinho de estimação. Nada como carinhos e brincadeiras com seu animalzinho para deixar todos em casa mais alegres e calmos.

  • Se você tem crianças em casa, é uma ótima oportunidade para apresentar brincadeiras analógicas e jogos de tabuleiro, que faziam a nossa festa quando nós éramos pequenos. É uma forma de unir a família e ficar off-line, longe de tv, computador e celular.

Assim, vamos cuidando de nós, dos outros e do planeta, tanto com ações diretas quanto indiretas. Ah, claro, lembre-se de lavar muito bem as mãos várias vezes por dia, passar álcool ao entrar e sair de qualquer lugar (se não tiver em gel, pode usar um borrifador para aplicar o líquido nas mãos), espirrar e tossir no cotovelo, evitar aglomerações e contato físico. 

Essa fase que estamos vivendo é mais um excelente exemplo de como cada pessoa tem um grande poder e uma grande responsabilidade na teia da vida. Fique bem!

Um ecobeijo e até breve.
+

Cinema lixo zero: dicas para não gerar lixo na sessão

Por Letícia Maria Klein •
10 março 2020
Filme com pipoca é uma combinação perfeita. Aliás, filme com comida é uma combinação perfeita. E depois de duas horas com risos, lágrimas e emoções diversas, fica não só aquela sensação gostosa de assistir a um filme (se ele for bom, claro), mas também algumas embalagens do seu combo de guloseimas. Aproveitando o meu ensaio de fotos de pré-casamento, que foi no cinema aqui na minha cidade, vim falar sobre como fazer seu lanchinho na sala escura sem gerar lixo. Anote aí as dicas para uma sessão sustentável. 

Cinema lixo zero com seu próprio copo e pote de pipoca
Ensaio no GNC Cinemas em Blumenau, com nossos próprios copão de bebida e de pipoca.

  • Leve sua própria embalagem para a pipoca, que pode ser um pote retrátil (existem algumas opções no mercado) ou um saco de pano. É só pedir para colocarem a pipoca direto nele – provavelmente eles vão usar a embalagem de papel da pipoca para medir a quantidade, mas é só você garantir que eles vão reutilizá-la depois no próximo pedido (já fiz e funciona). Se você gosta de colecionar, existem os potes de plástico duráveis feitos pelo cinema especialmente para alguns filmes, que você não descarta e pode reutilizar tanto em casa quanto na sua próxima sessão.

  • Na mesma onda, você pode levar seu próprio copão ou garrafa e pedir para colocarem a bebida direto ali. Para facilitar, leve um que tenha a mesma capacidade dos copos oferecidos no cinema que você frequenta (geralmente 350ml, 500ml, 1l).

  • Tem cinemas que fornecem alguns doces e salgados sem embalagem também (como pão de queijo), e você pode usar seu próprio potinho retrátil ou saquinho de pano.

  • Para substituir o canudo de plástico descartável da bebida, leve o seu próprio canudo. É bem fácil de encontrar hoje em dia, tanto em lojas na sua cidade quanto na internet. As opções mais comuns são de metal, vidro e bambu, em diferentes tamanhos e diâmetros.

  • Para fechar o kit cinema lixo zero, leve seu próprio guardanapo de pano, assim você não precisa utilizar o de papel. Também são facilmente encontrados em sites que vendem produtos sustentáveis, mas você pode cortar roupas velhas ou restos de tecido e costurar guardanapos de tamanhos variados.

Porém, contudo, entretanto, todavia... Se você consumir produtos como salgadinho, chocolate e outros que vêm naquelas embalagens plásticas metalizadas, seguem aqui algumas ações que vocês pode fazer para que esses resíduos sejam aproveitados de alguma forma (o que também é uma atitude lixo zero): 

  • Entre em contato com a prefeitura da sua cidade ou cooperativas de catadores de material reciclável para saber se há coleta seletiva desse material para reciclagem. Se houver, apenas coloque as embalagens no coletor adequado. Se não tiver...

  • Você pode reutilizar essas embalagens, assim como o isopor, para encher almofadas ou bonequinhos de pano; outra ideia é preencher saquinhos para utilizar como proteção de objetos frágeis dentro de caixas de papelão, quando precisar transportá-los. 

Agora é só preparar seu kit cinema e fazer a festa da sustentabilidade na sessão. Para ficar perfeito, só faltava levar uma mantinha... 

Um ecobeijo e até breve! 
+

Nove dicas para reduzir o consumo de papel

Por Letícia Maria Klein •
04 março 2020
Mesmo na era digital, nós ainda usamos muito o papel, especialmente quem nasceu até a década de 1990. Nada como escrever para clarear as ideias, não é mesmo? Ou para fazer listas! Nossa, essa é clássica. Mas de pedacinho em pedacinho, de folheto em folheto, vamos gerando uma grande quantidade de papel em casa. Ele pode ser facilmente reciclado, mas como bem sabemos, melhor do que reciclar e reutilizar é evitar a geração. Para isso, vamos às dicas de como você pode evitar e reduzir o consumo de papel no seu dia a dia.

Recuse a segunda via do cartão de crédito 
Aquele papel amarelinho usado nas máquinas de cartão (chamado de termo-sensível ou térmico, porque a impressão é feita por aquecimento), contém bisfenol-A (BPA), uma substância que faz mal à saúde. O papel é reciclável e algumas cidades reciclam, mas a substância é liberada durante o processo, o que contamina outros materiais ou o papel final reciclado. A boa notícia é que ele pode ser compostado, mas precisa ser na composteira ou no solo – não no minhocário. Ou você pode enterrá-lo num vaso com terra, sem planta.

Suspenda correspondências
Hoje é possível pagar todos os boletos e faturas via aplicativo ou on-line, o que elimina a necessidade de recebê-los por correio na sua casa. Além de gastar papel, o transporte da correspondência gasta combustível, gasta pneus etc. Até a fatura de energia elétrica pode ser paga on-line, sabia?

Recuse folhetos na rua
Se você anda de carro, é muito comum ter pessoas no semáforo entregando folhetos e panfletos, certo? Com toda aquela educação, gentilmente recuse. Um “não, obrigada” acompanhado de um sorriso é, além de simpático, sustentável, porque você não estará contribuindo com a demanda para produção de tais papéis.

Como reduzir o consumo de papel no dia a dia

Faça listas digitais
Fazer listas é uma ótima ferramenta de organização. No meu computador, eu mantenho uma lista no aplicativo de notas adesivas com as tarefas do dia (a versão computadorizada do post-it). Quando vou ao mercado, escrevo a lista de compras no celular. São maneiras de evitar o uso de bloquinhos de papel. Além dessas, o que mais você escreve no papel que pode migrar para o digital?

Mande por e-mail
Sabe aquela mensagem que costuma aparecer no fim de e-mails do tipo “imprima somente o necessário”? Tem muitas coisas que podem ser enviadas por e-mail em vez de serem impressas, especialmente no ambiente de trabalho. A pauta de uma reunião pode ser enviada por e-mail, por exemplo, em vez de ser impressa para cada pessoa participante.

Use pano na cozinha
Guardanapo de pano e toalhinhas de tecido são alternativas duráveis e sustentáveis ao guardanapo de papel e o papel toalha. Você já usa pano de louça, certo? É só agregar mais uns tecidos para deixar sua cozinha livre de descartáveis quando precisar limpar respingos e sujeiras na mesa, bancada ou chão. “Ah, mas vai gastar água para lavar depois”. Não mais do que a água que foi usada para produzir os papéis descartáveis, pode ter certeza, fora os outros bens naturais usados na cadeia produtiva deles. E você nem precisa comprar os paninhos: é só cortar uma camiseta velha.

Assine revistas e jornais on-line
Com os meios digitais, as edições impressas têm diminuído cada vez mais, levando muitas empresas de mídia a fecharem ou, no mínimo, se adaptarem. As assinaturas digitais garantem acesso a todo o conteúdo do site e costumam ser mais baratas do que comprar o impresso, além de evitar a produção (e futuro resíduo) de muito papel na forma de jornais e revistas.

Compre a granel
Alguns produtos que compramos no mercado vêm embalados em papelão ou papel cartonado. Uma boa forma de eliminar esse resíduo é comprar os mesmos produtos a granel. Cereais são um exemplo. Alguns são facilmente encontrados em feiras ou casas de produtos naturais.

Use ducha higiênica

Já contei aqui no blog como eu faço para não usar papel higiênico no banheiro e, consequentemente, não gerar o rejeito nem o rolinho de papel. Basicamente, a solução é usar uma ducha higiênica ou um bidê (que fica cada vez mais difícil de encontrar por aí, mas que é ótimo).

Por fim, não custa relembrar a boa e velha dica da reutilização: use sempre os dois lados da folha. Agora me conte, já aplica alguma dessas dicas? Não vá embora sem me dizer qual delas você vai começar a fazer hoje mesmo.

Um ecobeijo e até breve!
+

© 2013 Sustenta Ações – Programação por Iunique Studio