Parque São Francisco e Nova Rússia: a Mata Atlântica em Blumenau

Por Letícia Maria Klein Lobe •
10 fevereiro 2021
Blumenau é a cidade com maior cobertura vegetal no estado de Santa Catarina, tendo 67,46% do município cobertos por fragmentos de Mata Atlântica, segundo o Diagnóstico Socioambiental. O maior fragmento está na região da Nova Rússia e corresponde ao Parque Nacional da Serra do Itajaí, que se estende por nove municípios. Outra parte muito importante está no centro da cidade, no Parque Natural Municipal São Francisco de Assis.

No último fim de semana visitei os dois. Passei duas horas no sábado de manhã percorrendo as trilhas do Parque São Francisco, e no domingo passeei com meu marido pela Nova Rússia, no bairro Progresso, onde tomei um banho de rio delicioso e revigorante na propriedade do Restaurante Permita Ser.

Trecho do rio na Nova Rússia
Trecho do rio na Nova Rússia
Começo da trilha no Parque São Francisco
Começo da trilha no Parque São Francisco

Estar imersa na natureza é como ser confortada num abraço. A natureza do lado de fora me orienta em direção à natureza que existe no lado de dentro, a minha própria essência. A natureza me retira do caos urbano e me abriga numa redoma de calmaria, onde tudo flui na velocidade do equilíbrio. É no silêncio em meio aos sons da natureza que eu me escuto melhor, busco respostas e me faço ainda mais perguntas.

Parque São Francisco

O Parque Natural Municipal São Francisco de Assis foi criado em 25 de outubro de 1995, pela Lei Municipal 99/95, quando passou a ser considerado uma Unidade de Conservação (UC), na categoria parque, que é uma das 12 categorias do Sistema Nacional de Conservação (SNUC).

Trecho de mata no trajeto inicial do parque
Trecho de mata no trajeto inicial do parque
Espécie de banana-rosa
Espécie de banana-rosa
Já perdi as contas de quantas vezes estive no parque, até porque eu costumava guiar as trilhas eventualmente quando trabalhava na antiga Fundação do Meio Ambiente, atual Secretaria do Meio Ambiente e Sustentabilidade, que é responsável pela administração do parque (uma das funções que eu mais gostava de desempenhar).

Vista no deck quando você olha para cima
Vista no deck quando você olha para cima
Espécie de borboleta listrada, branca e cinza, pousada numa folha
Uma das muitas espécies de borboletas
Já fazia quase um ano que eu não ia, então aproveitei o último sábado de sol e vento fresco para caminhar muito por lá. Foi a primeira vez que eu avistei uma coruja, o que me deixou muito feliz. Ela estava paradinha no galho, dormindo, numa árvore perto do deck (que, aliás, foi reformado recentemente e está lindo!). Antes de ir embora, passei lá de novo e ela continuava no galho, mas agora bem acordada e de olho em mim.

Trecho de floresta com céu azul ao fundo
Se você olhar bem, verá a lua no céu
Uma espécie de briófita e outra planta
Uma espécie de briófita e outra planta
Vi ainda outras aves, várias borboletas e demais insetos. O que eu percebi foi a ausência de muitas árvores. Conversando com uma amiga minha que trabalha na Secretaria, ela disse que várias caíram. Espero que a floresta se recupere, porque esse espaço é precioso, abrigo de uma biodiversidade rica e fonte de uma energia calmante e revitalizante. Saí de lá renovada.

Espécie de fungo dominando o tronco caído
Espécie de fungo dominando o tronco caído
Uma parte da trilha coberta por plantas
Uma parte da trilha coberta por plantas
Localizado no centro de Blumenau, o parque tem 23 hectares de Mata Atlântica e um pequeno curso d'água, que nasce lá dentro. Você pode caminhar em quatro trilhas autoguiadas: Trilha do Tatu (483 metros), Trilha da Cutia (82 metros), Trilha Caminho das Águas (723 metros) e Trilha do Tucano (415 metros).

Nó de árvore
"É o nó da madeira"
Espécie de herbácea com flor azul
Espécie de herbácea
O parque recebe visitantes em quase todos os dias da semana e a entrada é gratuita. Se você vai sozinho ou em um grupo pequeno de pessoas, é só chegar e percorrer as trilhas seguindo as placas. Para grupos maiores, de escolas, instituições públicas/privadas ou em atividades promovidas pela própria secretaria (caminhadas noturnas, diurnas ou observação de animais), é necessário agendamento, e a visita é feita com guia. Segundo a secretaria, mais de 13 mil pessoas visitaram o parque entre 2017 e 2020.

Espécie chamada Psychotria nuda
Espécie chamada Psychotria nuda
As pesquisas científicas realizadas no São Francisco já identificaram 394 espécies de flora (entre nativas e exóticas), 22 espécies de mamíferos134 espécies de aves (sendo 67 consideradas raras) e a publicação de duas novas espécies de fungos (Fomitiporia atlantica e F. subtilíssima). Em 2018, foi realizado o I Simpósio de Pesquisas do Parque São Francisco, com o objetivo de divulgar essas descobertas.

A coruja

Nova Rússia

Minha primeira vez na Nova Rússia foi em 2014, durante a Caminhada das Nascentes, um trajeto de 10 quilômetros da entrada da localidade (na Estação de Tratamento de Água III) até a entrada do Parque Nacional Serra do Itajaí, que é gerido pelo Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio), um órgão federal. Desde então, já visitei a região várias vezes, tanto a trabalho quanto lazer.

Rio que cruza o terreno do restaurante
Rio que cruza o terreno do restaurante
Mesa com arranjo de flor e montanhas ao fundo
                              Vista do restaurante

Além do PNSI tem o Parque das Nascentes, que fica dentro do parque nacional e é administrado pelo Instituto Parque das Nascentes. São quatro trilhas, e a do Morro do Sapo tem uma vista incrível! A Nova Rússia abriga ainda o Parque Ecológico Spitzkopf (propriedade privada), o Ecomuseu Dr Agobar Fagundes, a Pousada Rio da Prata, alguns restaurantes (que costumam vender produtos caseiros) e vários acessos ao rio para tomar banho. Nos fins de semana de calor, é certo encontrar muitas pessoas se refrescando nas águas.
 
Arranjo de flor com a seguinte frase no vaso: "Seja a sua mente o seu próprio paraíso"
"Seja a sua mente o seu próprio paraíso"
No domingo, fomos até o restaurante Permita Ser, que fica no mesmo terreno da pousada. Antes do almoço, caminhamos um pouco pela trilha em meio à floresta que tem na propriedade e eu tomei um banho de rio, que estava maravilhoso! Tem vários acessos ao rio e alguns afluentes nessa trilha, e ficamos bem no começo, num dos afluentes. A água estava totalmente cristalina e refrescante. Eu sou apaixonada por água e aproveito todas as oportunidades para dar um mergulho, seja no rio ou mar. 

O almoço vegetariano (pizzas com saladas orgânicas da horta do restaurante, deliciosas) foi acompanhado de música ao vivo por Lúcio Locatelli e um vento fresquíssimo, coroando a paisagem das montanhas ao sol e um fim de semana de muita natureza.

Música especial a pedidos: Certos amigos, do grupo Expresso Rural

Serviço:

Parque São Francisco
Endereço: Rua Ingo Hering, 390, Centro, Blumenau, 89010-205
Horários de funcionamento:
De terça a sexta-feira, das 8h às 12h e das 13h às 17h.
Sábados, domingos e feriados, das 8h às 12h e das 13h às 16h.
O parque é fechado para manutenção nas segundas-feiras e em dias de chuva.
Entrada gratuita.

Restaurante Permita Ser
Endereço: Rua Minas da Prata, 170, Progresso, Blumenau, 89027-386
Horários de funcionamento:
Sábados e domingos, mediante reserva.
+

Feliz Natal sustentável

Por Letícia Maria Klein Lobe •
24 dezembro 2020
O ano está chegando ao fim, e que ano tivemos! Completamente diferente de tudo o que tínhamos vivido até então. Um ser vivo microscópico impactou o mundo inteiro e foi capaz de transformar relações sociais e mudar parâmetros que já estavam estabelecidos nos sistemas econômicos e políticos ao redor do globo.

Foi preciso que todos se unissem para superar os desafios que o vírus nos trouxe. Ainda é. Cada um individualmente e também em níveis organizacionais, empresariais e governamentais. A pandemia de Covid-19 foi uma professora severa e deu à humanidade muitas lições. Cada um aprendeu o que mais precisava aprender, passando pelo que precisávamos para continuar evoluindo e melhorando, como indivíduos e coletividade.

Tudo e todos estão interligados e são interdependentes, e o novo coronavírus provou isso. Não interessa em que parte da Terra você esteja, você sentirá os impactos que acontecem do outro lado de alguma forma e em algum momento. Tudo, absolutamente tudo que fazemos no nosso dia a dia provoca reações, não importa o tamanho ou o alcance. Por isso é tão importante, ou melhor, é fundamental, cuidarmos de nós mesmos, do outro e do meio.

Isso é sustentabilidade, e é a única forma que os seres vivos e os ambientes, unidos neste planeta que chamamos de casa, têm para prosperar e viver em equilíbrio.
 
Letícia segurando o gato Spock, os dois com toquinha de Papai Noel

Desejo um Natal feliz e sustentável para você, com atitudes e momentos que preencham a alma e nutram as relações.

Um ecobeijo e até breve.

+

50 ideias de presentes sustentáveis para o Natal

Por Letícia Maria Klein Lobe •
17 dezembro 2020
Fim de ano chegando, época de reunir a família e os amigos (mesmo à distância, na atual circunstância) e celebrar a vida, com todas as suas dádivas. Como parte das festas, tem a troca de presentes, em grande parte das famílias. Aproveitando o evento online que fizemos agora em dezembro com a temática de presentes, neste post em vim te dar 50 ideias de presentes sustentáveis para o Natal, considerando presentes que sejam experiência, sentimento e materiais (sustentáveis, claro). Tem para todos os gostos, então bora pra lista! 

Uma árvore de natal enfeitada, com luzes acessas, e um presépio de bonequinhos de pano.

1. Passeio de bicicleta em família.
2. Piquenique no parque.
3. Tarde divertida na cozinha com a família, fazendo guloseimas de Natal.
4. Sessão de filmes natalinos.
5. Maratona de série ou dos seus filmes preferidos.
6. Sessão de jogos ou quebra-cabeça.
7. Um poema de presente (se quiser encomendar um poema, usando meu cupom LETICIA0720 você tem desconto).
8. Carta (escrita à mão ou digital).
9. Cartão digital, que você pode fazer em sites como Canva e Piktochart.
10. Vídeo com fotos de momentos compartilhados.
11. Almoço ou jantar especial, preparado por você.
12. Um momento de voluntariado em família em alguma instituição.
13. Uma caixinha de memórias, com bilhetes e fotos.
14. Um mês de assinatura de algum serviço que a pessoa queira.
15. Festa para a família, com música e comidas especiais.
16. Vale cinema (onde os cinemas estão abertos).
17. Vale massagem.
18. Vale tratamento estético.
19. Um curso que a pessoa esteja querendo fazer.
20. Kit lixo zero, com talheres e guardanapo de pano.
21. Canudo reutilizável de vidro, bambu ou metal.
22. Saquinhos de pano reutilizáveis.
23. Copo retrátil de silicone ou metal.
24. Fraldas de pano.
25. Absorventes de pano.
26. Coletor menstrual.
27. Um livro que você já leu e está parado na sua estante.
28. Um bolo, pão doce, panetone, biscoitos ou delícias salgadas que você mesmo pode fazer.
29. Adotar um animal de estimação.
30. Roupa ou calçado comprado em brechó.
31. Aparelho de barbear de metal, que você só precisa trocar as lâminas.
32. Para embalar algum presente físico, use uma sacola ecológica (dois presentes em um).
33. Uma cesta de produtos naturais a granel, embalados em vidro ou saquinhos reutilizáveis.
34. Vaso de flor (o vaso pode ser algo reaproveitado, como potes de plástico).
35. Horta em vasinhos.
36. Kit de produtos de higiene naturais e orgânicos (se você for de Blumenau, tem frete grátis na loja Com Sumo Consciente usando o “cupom leticia” no campo final de observações).
37. Peça de roupa feita com algodão orgânico.
38. Minhocário ou composteira.
39. Kit dental ecológico, com escova de bambu e pasta de dente natural.
40. Kit de buchas vegetais para lavar a louça e produtos de limpeza naturais.
41. Papel higiênico reutilizável. https://www.pazemgaia.com.br/casa/limpeza-eco/papel-higienico-reutilizavel-so-xixi-unpaper.html
42. Kit de escrita com lápis-semente e caneta reutilizável.
43. Kit maquiagem com rodelas de algodão e maquiagem vegana.
44. Alguma peça que você mesmo pode fazer, como uma roupa, um quadro, uma caixa, um álbum de fotos (hora de exercitar sua imaginação e habilidades).
45. Discos, CDs, DVDs ou Blu-rays comprados em sebo.
46. Celular seminovo (tem dezenas no site Trocafone).
47. Outro eletrodoméstico seminovo.
48. Uma bicicleta, skate, patins seminovos.
49. Tampas de pano reutilizáveis para guardar potes na geladeira.  
50. Panos de cera para embalar frutas ou tampar potes.  

Coloquei várias coisas seminovas na lista porque sou adepta de utilizar o que já existe no mercado, sem demandar a produção de coisas novas, que vão precisar de bens naturais e matérias-primas para serem feitas. Em sites como Mercado Livre, OLX, Enjoeei e grupos nas redes sociais, conseguimos encontrar centenas de produtos usados em bom estado. Se você compra para si mesmo, por que não pode comprar para dar de presente, não é mesmo? 

Chegou a hora de revolucionar o conceito de presente, pensando em sustentabilidade, afetividade e cuidado com a gente mesmo, com o outro e com o meio. O que você acha da ideia?

Um ecobeijo e até breve!
+

Repense seus presentes – Evento online e brechó online

Por Letícia Maria Klein Lobe •
08 dezembro 2020
O Natal está aí, e nós a maioria das pessoas têm o costume de presentear família e amigos nessa época. Se você é uma dessas pessoas, quero te convidar para participar de um evento online neste sábado, dia 12 de dezembro, para conversarmos sobre três tipos de presentes que podemos dar: presentes que são vivência ou experiência, que são emotivos ou que são produtos ecológicos e sustentáveis. O evento é uma iniciativa minha, da Mariane Sievert (Casa Aberta e PresentEco) e da Natália Oliveira Pereira dos Santos (Juventude Lixo Zero Blumenau). Vem saber tudo que vai rolar! 

Cartaz convite do evento online sobre presentes

Programação do evento

O evento será realizado via zoom neste link, no sábado, dia 12 de dezembro, das 14h às 17h. Serão três convidados, com uma hora de conversa para cada um. Faremos um bate papo, e você pode participar com as suas perguntas. Depois de cada conversa, faremos um sorteio dos respectivos presentes para os participantes que estiverem online: um presente poema, dois passeios ciclísticos e uma bolsa térmica multiuso.

14h – Presente vivência: presenteie experiências com passeios ciclísticos
Giovani Rafael Seibel, biólogo com pós em Gestão e Educação Ambiental e cicloempreendedor do Mais Bicicletas. O Gio faz um trabalho excelente em relação à mobilidade urbana e compostagem (inclusive, fizemos uma live no Instagram durante o Julho Sem Plástico, sobre mitos e verdades da compostagem). 

Cartaz sobre a participação do Giovani, com nome e minibiografia

15h – Presente emoção: presenteie emoções usando poemas
Mariane Sievert, professora, poeta e inspiradora da Casa Aberta. A Mari é uma das organizadoras do evento e já apareceu aqui no blog falando sobre a Casa Aberta e o PresentEco e também em live no Instagram durante o Julho Sem Plástico, sobre educação para um mundo sustentável

Cartaz sobre a participação da Mariane, com nome e minibiografia

16h – Presente ecológico: produtos sustentáveis para mãe, pai e bebê
Paula Reck Bellon, doula pela Ando e Nascer Amor, fisioterapeuta e revendedora de produtos ecológicos para maternidade. A Paula participou do último Coletivo Lixo Zero com a venda de fraldas de pano e outros produtos para maternidade e paternidade ecológica. 

Cartaz sobre a participação da Paula, com nome e minibiografia

Brechó online

A Marianne é uma das idealizadoras do PresentEco, uma revolução no conceito de presente. Se a gente compra coisas usadas para nós mesmos, por que não dar esses mesmos produtos de presente? A ideia do PresentEco é que você busque por objetos usados, em bom estado, para dar de presente, diminuindo assim a demanda pela confecção de produtos novos e todo o impacto dessa produção no planeta. 

Pensando nisso, nós três fizemos uma lista de produtos que temos em casa para vender, como um brechó online. Você pode comprar para si ou para dar de presente. Se gostar de algum, basta entrar em contato pelas redes sociais de cada uma. Nós vamos manter a tabela sempre atualizada, retirando os produtos que foram vendidos e adicionando novos. 

Venha participar com a gente!

Um ecobeijo e até breve.
+

Documentário: Professor Polvo [Resenha]

Por Letícia Maria Klein Lobe •
04 dezembro 2020
O oceano, berço da vida no planeta, é absolutamente fascinante. Cobrindo 2/3 da Terra, os oceanos são os maiores biomas do mundo, com milhares de criaturas especiais e ainda mais fascinantes. Indo bem além do encantamento, o oceano e suas espécies têm muito a nos ensinar, especialmente sobre relações. Essa é uma das conclusões a que chegamos ao assistir Professor Polvo (My octupus teacher), documentário sul-africano original da Netflix, produzido em parceria com Sea Change Project e Off the Fence, com direção de Pippa Ehrlic e James Reed.

Durante uma hora e meia, acompanhamos Craig Foster, um cinegrafista marinho e fundador do projeto Sea Change, durante seus mergulhos em uma floresta subaquática de algas na costa da Cidade do Cabo. Depois de quase ter um colapso mental por causa do trabalho, há 20 anos, Craig decidiu se mudar para o litoral com a família, revivendo assim sua infância perto do mar. O que ele mais queria era estar dentro da natureza, não mais separado como aconteceu depois que se tornou adulto. E foi daí que surgiu a ideia de mergulhar todos os dias. 

Capa do documentário Professor Polvo, que mostra o título e um polvo no mar

Foi a partir desses mergulhos que ele desenvolveu uma relação especial com um polvo, que ele depois descobriu ser uma fêmea. Durante quase um ano, ele acompanhou e registrou os encontros com o polvo, contando como os dois desenvolveram uma relação de amizade e carinho. Se você não sabe muito sobre polvos, vai ficar abismado com a espécie, que parece um alienígena, como Craig diz, mas que é muito parecida com a gente, humanos.

As imagens deste documentário são absolutamente encantadoras e nos dão a sensação de estarmos desbravando o oceano junto com o cinegrafista. Com dez minutos de rodagem, eu já estava lacrimejando. Se você nunca mergulhou no oceano, esse documentário vai te deixar com muita vontade de fazer isso. Sou a primeira da fila! Não sei como eu nunca me planejei até hoje para fazer isso, mas definitivamente está na lista de metas da vida.

Com uma narrativa simples e despretensiosa, “Professor polvo” é um documentário ambiental que sensibiliza e conscientiza por meio das próprias imagens, que são de uma beleza fenomenal, indo de aéreas a closes embaixo d’água, em vários ângulos diferentes. Longe de ser alarmista ou doutrinário, o discurso te toca porque é fruto da experiência de Craig. Combinando narração e formato entrevista com imagens subaquáticas, nós entendemos o que levou esse homem a fazer essa jornada e tudo que ele aprendeu nela ao lado do polvo. A trilha sonora original acompanha os sons do ambiente e dá o tom das cenas na medida certa, sem sensacionalismo, despertando as emoções que o próprio Craig sentia nos mais diversos momentos. Alegria, tristeza, tensão, conforto, saudade, está tudo lá. 

Craig segurando o polvo no colo
Craig e o polvo num momento de carinho
Quando nós nos dispomos a observar a natureza, aprendemos muito sobre a vida. Foi com a observação que Craig aprendeu não só sobre os polvos, mas também sobre o próprio ecossistema e sobre ele mesmo. Durante quase um ano, o polvo ensinou Craig a se relacionar melhor e a se sensibilizar mais com os outros, a superar as dificuldades, a ser resiliente e versátil, a brincar, a ser altruísta e a entender que sacrifícios às vezes são necessários. Sendo parte do oceano por algumas horas todos os dias, ele presenciou a preciosidade dos lugares selvagens, passou a se preocupar com os animais e a entender como a vida é vulnerável.

O segredo da harmonia está no equilíbrio, e é ele que precisamos buscar na construção de uma existência e de um planeta sustentável. Esse aprendizado está a nossa disposição 24 horas por dia, basta olharmos a nossa volta e prestarmos atenção. Se um polvo conseguiu fazer isso com Craig, imagine o que cada um de nós pode aprender com toda a natureza! Deixe o polvo te ensinar também. 


Um ecobeijo e até breve!
+

18 atitudes sustentáveis que economizam dinheiro

Por Letícia Maria Klein Lobe •
26 novembro 2020
Economia e ecologia tem tudo a ver uma com a outra! A ideia de que a sustentabilidade “atrapalha” o progresso não poderia ser mais falsa. Não é à toa que “O negócio é ser pequeno”, um dos principais livros sobre sustentabilidade já publicados, foi escrito por um economista, o britânico Ernst Friedrich Schumacher.

Para começar, os dois termos compartilham o radical “eco”, que significa casa em grego. Economia significa “gestão da casa”, enquanto que ecologia significa “estudo da casa”. Para cuidar do nosso planeta e seus bens naturais, precisamos conhecer e entender as relações interdependentes que existem entre todos os seres vivos e os ambientes e, consequentemente, conservar os habitats naturais e fazer um uso consciente e racional dos bens (água, energia, matéria-prima etc). 

Letícia segurando uma nota de 50 reais

Além de garantir a manutenção dos sistemas econômicos por mais tempo, a sustentabilidade prevê qualidade de vida para todos e redução de gastos. Então, vamos para a lista de 18 atitudes sustentáveis que economizam seu dinheiro no dia a dia.

  1. Compre em brechó: além de gastar menos dinheiro com roupas, calçados e acessórios, você aumenta a vida útil de peças que já estão no mercado, diminuindo a demanda de produção de produtos novos.

  2. Conserte roupas, calçados e acessórios: consertar costuma ser mais barato do que comprar algo novo e permite que você use por mais tempo aquilo que já tem em casa, sem precisar adquirir peças novas.

  3. Troque livros: você pode usar os sites Skoob e Livra Livro para trocar livros que você tem por outros que quer ler (neste caso, você envia e recebe os livros por correio, o que é bem mais barato do que comprar, mesmo que seja no sebo). Você também pode trocar seus livros no sebo da sua cidade, e neste caso você não gasta nada.

  4. Desligue aparelhos da tomada quando não estiver usando: essa atitude economiza até 30% na sua fatura de energia elétrica. Depois de usar o computador, aparelho de som ou televisão, tire o plugue da tomada.

  5. Solicite suspensão de serviços básicos quando viajar: sempre que estiver fora de casa por um período mais longo, você pode interromper os serviços de água, luz, telefone fixo e celular, televisão a cabo e internet da sua casa. Você pode suspender esses serviços uma vez por ano, sem custo.

  6. Tome banhos curtos e feche a torneira: você economiza água e de dinheiro ao mesmo tempo toda vez que fecha a torneira para escovar os dentes, fazer a barba e lavar a louça e sempre que toma banho de até 5 minutos (10 no máximo), fechando o chuveiro para se ensaboar e passar shampoo.

  7. Colete água do chuveiro: se você tem chuveiro a gás, em que a água quente demora para chegar, você pode coletar a água fria num balde e usar depois na descarga, para lavar roupa ou louça.

  8. Instale uma ducha higiênica no banheiro: assim você diminui (ou mesmo elimina) o consumo de papel higiênico e economiza dinheiro (além de não gerar embalagem).

  9. Utilize um coletor menstrual (se você é mulher, claro): é um produto reutilizável e muito mais econômico do que os absorventes descartáveis, além de não gerar lixo. Eu comprei o meu coletor por R$ 70 ou R$ 80 reais e uso há cinco anos. Sem mais gastos com menstruação!

  10. Lave roupa na máquina com água fria: algumas máquinas de lavar roupa têm entrada para água quente, mas usar água fria economiza energia, que por sua vez economiza dinheiro.

  11. Use lâmpadas LED: o diodo emissor de luz (tradução da sigla em inglês) é pelo menos três vezes mais econômico do que as lâmpadas incandescentes e não tem o mercúrio que existe nas lâmpadas fluorescentes, além de ser mais durável. Aproveitando, você sabe como descartar lâmpadas?

  12. Feche a porta quando o ar condicionado estiver ligado: isso reduz o consumo de energia elétrica porque a máquina atinge a temperatura programada mais rápido e opera numa faixa de estabilidade. Se você usa o ar condicionado enquanto dorme, mantenha a porta do quarto fechada durante o dia (com o ar desligado, por favor). O ambiente vai se manter fresco, e isso facilita a refrigeração do quarto na noite seguinte, o que economiza energia.

  13. Trabalhe e estude em ambientes onde entra luz natural: quanto mais luz solar você aproveita, menos energia elétrica você precisa para iluminar o ambiente onde está (trabalho, sala, cozinha, quarto etc).

  14. Tenha telhado verde ou com cor branca: se você mora em casa, você pode cobrir seu telhado com plantas baixas e flores ou com gramíneas, dependendo da inclinação. Telhados verdes reduzem a temperatura em até 5º C dentro da construção e aumentam a umidade relativa do ar em até 15% em relação às construções cobertas com concreto, o que aumenta a eficiência energética e reduz a necessidade de ar condicionado. A mesma lógica se aplica quando você pinta o telhado de branco, porque a luz reflete o calor de volta para a atmosfera. Em relação à instalação das plantas, tem empresas especializadas que fazem isso.

  15. Plante árvores no jardim e tenha plantas em casa: as árvores nos prestam muitos serviços ecológicos de graça que melhoram a nossa qualidade de vida. Em termos de economia de dinheiro, as plantas fazem sombra e evaporam água, o que aumenta a umidade relativa do ar. Isso deixa seu jardim, sua casa ou seu apartamento mais fresco, reduzindo a necessidade de ar condicionado.

  16. Compre alimentos que estão para vencer: existem mercados que dão desconto em produtos com vão vencer dentro de poucos dias e até mercados que só vendem produtos que estão com prazo de validade curto. Além de economizar dinheiro, você consome alimentos que ainda estão bons, mas que seriam descartados.

  17. Tenha horta em casa: você tem alimentos livres de agrotóxicos à sua disposição e ainda economiza na feira ou no mercado.

  18. Faça produtos de limpeza em casa: você pode fazer seu próprio vinagre de maçã, sabão líquido para lavar roupa, desinfetante e multiuso para limpar a casa. Com ingredientes básicos como álcool, vinagre e sabão de coco, entre outros, você consegue fazer quantidade muito maiores do que os produtos prontos do mercado, e economia dinheiro. Os blogues Uma vida sem lixo e Casa sem lixo tem várias receitas.   

Tem coisa, né? Ser sustentável não custa caro, não, na verdade diminui os seus gastos. Me conte aqui o que você já faz ou quer começar a fazer.

Um ecobeijo e até breve!
+

© 2013 Sustenta Ações – Programação por Iunique Studio