A crítica de Andy Singer

Por Letícia Maria Klein •
28 novembro 2013

Carros, aquecimento global e destruição ambiental são um dos principais alvos do cartunista estadunidense Andy Singer. O estilo de vida atual e a presença maciça de tecnologias e indústrias também. Seus cartoons, intitulados No Exit (Sem Saída), são publicados em jornais, livros e revistas nos Estados Unidos e em outros países, além de já terem sido lançados em seis livros. Em 2012, as obras do artista foram expostas pela primeira vez no Brasil, na cidade de São Paulo. Andy começou a desenhar desde cedo, com dois anos de idade, e hoje é reconhecido internacionalmente por seu olhar ambiental e visão crítica da sociedade. Eu trouxe pra cá alguns cartoons que achei bem legais. Veja abaixo e depois me diz se gostou também!

Rapidinho, antes das imagens, uma curiosidade. O site Vá de Bike contou que o cartaz da exposição apontava o transporte e alternativas para automóveis como um dos grandes interesses na vida do cartunista. “Andy Singer e sua esposa não possuem carro e tentam chegar a todos os locais com bicicletas, caminhando ou utilizando transporte público. Em seu tempo livre, Andy também é voluntário co-presidente da Saint Paul Bicycle Coalition, tentando fazer a sua cidade (Saint Paul, Minnesota) mais amigável à bicicleta”. Legal, né!


Esse cartoon desconstrói o que se tem por evolução automotiva. O carro aqui é uma forma anterior à bicicleta, que é mais evoluída porque causa muito menos impacto ambiental, é ótima para mobilidade urbana, ajuda a fazer atividade física e a deixar seu condutor em contato com o ar livre e a natureza. 


Adorei este aqui. Ele põe em perspectiva o que é realmente o sucesso. Se ter carro, perder horas do dia no trânsito e viver estressado é “ser uma pessoa de sucesso” perante à sociedade capitalista e consumista, prefiro “parecer mal-sucedida” andando a pé, de bike ou ônibus e vivendo bem. Sucesso não está relacionado apenas a trabalho. Pode-se ter sucesso sendo mãe, pai, dono de casa, voluntário, enfim, qualquer coisa com a qual você sonha ou gosta de fazer e que vai te trazer plena satisfação. 


Triste este aqui. A primeira coisa que empresários do setor pensam é em derrubar a floresta para ganhar dinheiro. Sendo que dinheiro não é o mais importante na vida, não deve ser um objetivo e fica na Terra quando seu dono sai dela. É muito melhor para o planeta e seus habitantes manter a floresta viva, em pé. Como os empresários querem dinheiro, melhor que pensem assim: uma floresta morta dá dinheiro uma vez, enquanto que uma viva dá dinheiro sempre. Um grande exemplo disso é o ecoturismo.

Evite os 4Ds do aquecimento global. Negação (denial) – aquecimento global não está acontecendo ou, se está, humanos não o estão causando. Desilusão (delusion) – Vamos resolver o aquecimento global com uma tecnologia que conserte, como carros verdes ou carvão limpo. Derrotismo (defeatism) – Sem apoio internacional, é muito tarde para reduzir o aquecimento global. Então vamos explorar petróleo no ártico. Morte (death).

Neste cartoon, Singer alerta para os problemas de não resolver ou não tentar resolver o aquecimento global, seja negando-se a acreditar que ele exista ou ficar esperando de braços cruzados que alguém ajude. Esta é uma luta de todos os seres humanos e todos podemos, e devemos, fazer nossa parte para preservar o ambiente como o conhecemos hoje. 


Este trabalha a questão do individualismo. A pessoa dentro do carro, no conforto e ar limpo, joga gases do efeito estufa na atmosfera, que são inalados pelos pedestres. Mas na verdade, o motorista também inala, porque ele não fica em ambientes fechados 24 horas por dia. 


Quando os humanos finalmente se derem conta de que os animais não vieram ao planeta para servirem à espécie humana e que eles merecem ser tratados com respeito tanto quanto qualquer pessoa, a natureza finalmente estará em equilíbrio (ou perto dele). 


Uma gracinha este O ideal de mobilidade urbana: muitas bicicletas e poucos carros, a densidade certa. 

O que este homem precisa é de menos governo, para que ele possa estar livre de regulamentações – livre para prosperar.

Crítica política legal. Difícil prosperar quando o governo parece estar contra a população, com políticas públicas que atrapalham em vez de ajudar. 


Mobilidade urbana dos EUA na mira. Tem uma versão deste cartoon em cores que diz embaixo no quadro de baixo Tour de Brasil. Também vale. Convenhamos que está mais pra imobilidade urbana. 


Engraçado este. Já pensou se viesse mesmo com advertência? Não seria uma má ideia. Mas, como já falei aqui no blog, não se trata de demonizar o carro, mas sim usá-lo sabiamente ou às vezes substitui-lo. 

E você, o que achou dos cartoons? Adoro ler a opinião de vocês nos comentários!

2 comentários:

  1. Anônimo12/17/2013

    Oi Lê! Nossa, adorei seu artigo. As obras desse Andy Singer são muito legais, até compartilhei uma das imagens que mais me chamou atenção, aquela que mostra a (r)ëvolução do carro à bicicleta. A mobilidade urbana é um dos desafios do século, se não nos propusermos a pensar sobre ele... aiaiai.

    Beijo,
    Julia

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que bom que gostou, Ju! As obras do Andy Singer são demais mesmo, bem diretas e até ácidas. Essa da evolução do carro para bicicleta é ótima, eu concordo que a evolução dos meios de transporte é nessa ordem mesmo. Mobilidade urbana deve ser uma das prioridades dos governos, o que inclui boa estrutura do transporte coletivo e incentivo ao seu uso.
      Obrigada por comentar!
      Beijo.

      Excluir

Oi, tudo bem? Obrigada por passar aqui! O que achou do post? Comente aqui embaixo e participe da conversa.

© 2013 Sustenta Ações – Programação por Iunique Studio