O que pode ser compostado – Meu santo composto #3

Por Letícia Maria Klein •
05 março 2019
Basicamente, tudo que veio da terra pode voltar para a terra. Verduras, frutas, legumes, folhas, galhos, flores, pó e filtro de papel de café, folhas e saquinhos de chá, casca de ovo (não é da terra, mas é natural), grãos, alimentos cozidos e assados em pequena quantidade, aparas de lápis, palitos de madeira e até papel e algodão. Como existem dois métodos de compostagem doméstica (a seca e a vermicompostagem), existem algumas diferenças entre o que pode ser colocado na composteira e no minhocário, incluindo o tipo de resíduo orgânico e a quantidade.

Resíduos do meu café da manhã e almoço de sábado: casca de banana, 
cascas de cenoura, talos de vagem, umas cascas perdidas de alho e cebola 
e uma batata palha

Na compostagem seca, a decomposição dos alimentos é realizada por bactérias aeróbias, que usam oxigênio. É um método mais lento (leva pelo menos o dobro do tempo do que a decomposição por minhocas) e quase não produz biofertilizante, mas permite que você coloque mais alimentos do que no minhocário e outros materiais, como caixa de pizza, retalhos de algodão, papel e madeira. Eles vão demorar mais para serem compostados, mais do que seis meses, mas não vão causar danos na composteira.

No minhocário, o cuidado com o que se coloca deve ser maior porque tem muitos animaizinhos morando ali e que vão sofrer se o sistema entrar em desequilíbrio. As minhocas aceitam e comem papel, por exemplo, mas não é bom colocar muito, afinal não é comida (e vai deixá-las brancas). O mesmo vale para a caixa de pizza, que além de ser um papel mais grosso, provavelmente contém gordura, o que não é bom para o minhocário. Guardanapo e papel toalha também podem ir no minhocário, em pequena quantidade – na composteira pode colocar mais.

De forma geral, qualquer casca, semente e talo de hortaliça ou fruta tem passagem livre na composteira e no minhocário. Algumas cascas mais grossas de frutas (como a do abacate), algumas sementes (abacate de novo, manga) e partes muito fibrosas (como a ponta do cacho de bananas) demoram muito para serem decompostas pelas minhocas, mas podem ficar lá. Cascas de frutas cítricas, alho e cebola podem ser colocados na composteira, mas devem ser evitados no minhocário, devido à acidez que pode bagunçar o ph e prejudicar os bichinhos.

Para agilizar o processo de compostagem nos dois sistemas, você pode cortar os resíduos em pedaços pequenos. É importante que eles estejam num tamanho que permita a passagem das minhocas, de insetos e de oxigênio, por isso é bom cortar ou despedaçar cascas, folhas e talhos grandes ou grossos. Também é bom quebrar cascas de ovo, rasgar papeis e quebrar palitos de madeira (como os hashis de comida japonesa, fósforos e palitos de dente).

Por cima de tudo, tanto na composteira quanto no minhocário, você deve colocar folha seca, palha ou serragem. Esses elementos secos fornecem o carbono necessário para completar o processo da compostagem e equilibrar o sistema, em conjunto com o nitrogênio dos resíduos orgânicos. Além disso, previnem o odor ruim e a presença de seres não desejados, como ratos e baratas.

Resíduos no minhocário com cobertura seca

No próximo post vou falar sobre o que não pode ir na compostagem doméstica e o que fazer com esses resíduos. Se ficou com alguma dúvida ou quiser compartilhar sua experiência, comente aqui embaixo.

Um ecobeijo e até breve!

0 comentários:

Postar um comentário

Oi, tudo bem? Obrigada por passar aqui! O que achou do post? Comente aqui embaixo e participe da conversa.

© 2013 Sustenta Ações – Programação por Iunique Studio