Diário de bordo #3 – Uma experiência sensorial

Por Letícia Maria Klein •
11 setembro 2016
Respire profundamente. Inspire, sentido o ar enchendo seus pulmões enquanto expande a barriga. Agora expire, soltando o ar lentamente pela boca e sentindo seu tronco esvaziar. Faça novamente, de olhos fechados. Agora imagine-se de pés descalços, no meio de um jardim ou de uma floresta, sentindo o solo, a grama, as folhas, os pequenos gravetos sob seus pés. Agarre-os com seus dedos, sinta o frescor que vem da terra.

O ar, com seus diversos gases, é uma reunião das respirações de humanos, outros animais e plantas. Respire fundo de novo e tente sentir esta conexão aérea com os outros seres. Dentro da sua imagem mental, no jardim ou na floresta, de pés livres, respire fundo novamente, sentindo esta troca de ares com as árvores ao seu redor. Aqui o ar é puro, fresco.

Ainda neste cenário, caminhe. Sinta o chão da floresta ou a grama sob seus pés afundando a cada passo, recebendo seu corpo. Se quiser, deite sobre a terra para ter a sensação em todo seu ser. Não se esqueça de respirar conscientemente, trocando inspirações e expirações com a natureza da qual faz parte. Agora continue sua caminhada, olhando ao redor e indo em direção a algum ser vivo ou elemento que lhe prenda o olhar. Chegue perto. É vegetal? Animal? Mineral?

Perceba as nuances, os contornos, as cores, o formato, a textura. Preste atenção. Converse com ele. Não necessariamente com palavras pronunciadas, mas com o pensamento, o olhar, as mãos, o corpo. O ambiente sente a sua presença, assim como você está sentindo este ser ou elemento e o ambiente em volta. Agora escolha outro (ou deixe outro escolher você) e sinta as diferenças.

Desperte seus sentidos para a experiência. Escute o farfalhar das folhas sob o vento, observe os detalhes da asa de uma borboleta, prove a fruta que a árvore oferece, inspire o perfume das flores da estação, sinta a aspereza de uma pedra. Sinta a si mesmo. Com todos os seus sentidos, perceba o ambiente a sua volta e compreenda que o ambiente também te sente e percebe sua presença.

Independentemente do lugar onde você está, as conexões existem. Cada um é um nó na teia da vida. Respire fundo, aguce os sentidos e sinta o pertencimento.



Um pouco sobre a experiência sensorial na floresta atrás da Schumacher College, guiada por David Abram, mágico, performático, autor dos livros The Spell of the Sensuous e Becoming Animal.

2 comentários:

  1. Carmen Naves9/18/2016

    Encantada com tamanha sensibilidade das palavras descritas deste nosso lugar mágico !
    Posso compartilhar seus posts?

    ResponderExcluir
  2. Letícia Maria Klein9/19/2016

    Oi, Carmen.
    Muito obrigada! Pode compartilhar, com certeza.
    Beijo.

    ResponderExcluir

Olá, muito obrigada por passar aqui! Contribua com a postagem e deixe um comentário!

© 2013 Sustenta Ações – Programação por Iunique Studio