Caminhada cercada pela Mata Atlântica na Nova Rússia

Por Letícia Maria Klein •
24 julho 2014

Sob uma temperatura de menos de 10ºC, às 8h da manhã de domingo, eu e minha dinda encaramos o percurso de 10 km na Nova Rússia, localidade ao sul de Blumenau que fica no entorno do Parque Nacional da Serra do Itajaí. Estávamos num grupo de dezenas de pessoas que se reuniu para a Caminhada das Nascentes, proposta e coordenada pela Secretaria de Turismo, com parceria da Fundação Municipal do Meio Ambiente. O dia estava maravilhoso! A neblina foi se dissipando e nos presenteou com um lindo céu azul. Uma manhã perfeita em meio a Mata Atlântica!

Eu e minha dinda Denise. Então, tava frio. 

Munidos de luvas, cachecóis, tocas e a camiseta do evento (feita a partir de garrafas pet!), os participantes largaram às 8h e pouco, depois de um alongamento coletivo. Importante, muito importante, vai por mim! Durante o percurso fomos acompanhados por policiais motorizados e por uma ambulância, que ia no fim da fila. Nos empurrando, como disse minha dinda, já que ficamos por último. 

Muita neblina de manhã, no começo da caminhada

Além da camiseta, a inscrição também nos deu direito a uma mochila ecológica. Saí de casa com ela, levando minha companheira de todas as horas, a garrafa de água, e a câmera digital. Pena que a mochila não era tão sustentável, pois no trajeto de volta ela arrebentou. A da minha dinda também. Bom, nada que uma costura não resolva.

Povo começando a caminhada. Olha a mochilinha aí.

Esta foi a primeira edição da Caminhada das Nascentes, chamada assim porque o trajeto termina no Parque das Nascentes, que faz parte do Parque Nacional da Serra do Itajaí. Era para ter sido no dia 8 de junho, pra fechar a Semana Municipal do Meio Ambiente, mas choveu naquele dia, então passaram para 20 de julho. O que foi ótimo, o dia estava fantástico! Friozinho e mega ensolarado. 


Cruzando a ponte

Foram 10 km de caminhada e ciclismo (os ciclistas largaram às 9h, mas foram poucos os aventureiros nesta modalidade), com três paradas para reabastecer nossas energias. Em cada posto havia frutas e copinhos d’água, com latas de lixo próprias para cada tipo de resíduo. Como fruta é alimento orgânico, deixamos as cascas na floresta mesmo. Menos lixo. 


Sol aparecendo

Na parada final, dentro do Parque das Nascentes, tinha um café colonial com pães, cucas e geleias caseiras feitas por um dos ranchos localizados no começo do trajeto. Tem muitos lugares pra visitar e muita natureza pra observar na Nova Rússia, que fica no bairro Progresso. Ranchos para encontros em família ou amigos, almoços e venda de alimentos caseiros, recantos de natureza silvestre onde dá pra tomar banho no rio. 


Uma das propriedades ao longo do caminho, que são algumas.
Adorei o efeito dos raios.

Tem também pousada e eco museu, que ficam em outra direção, tomando a bifurcação da direita que aparece no meio do caminho. A Faema planeja uma caminhada com este roteiro, das Minas da Prata, em novembro. Já tá na agenda!

Dava pra fazer o percurso de volta a pé. Nós até consideramos, mas pra não forçar a barra (nem a coluna), voltamos com um dos micro-ônibus disponibilizados para trazer os participantes de volta ao ponto de largada. Eles saíam em períodos regulares a partir das 10h30. Eu e dinda chegamos ao ponto final nesta hora. Foram dez mil metros em pouco mais de duas horas. Muito bom! Ficamos para o café, respondemos a uma pesquisa de satisfação sobre o evento e voltamos lá pelas 11h30. 


Na parada final, o Parque das Nascentes

Que passeio, gente! Acordar cedo te dá outra disposição. Aproveitamos bem a manhã num lugar lindo, cercado de Mata Atlântica, num dia maravilhoso, curtindo a natureza e o ar puro. Não deu pra ver muitos animais, nem as aves apareceram muito, mas deu pra sentir aquela paz e aquele bem-estar que me invadem quando estou nesse meio É tão revigorante, motivador, gratificante. Amo demais! Como é bom estar em contato com a natureza! Já estou ansiosa pelo próximo.

2 comentários:

  1. Anônimo1/13/2015

    quando ganhei minha bicicleta em 1991, conheci de perto tudo aquilo lá. A eta , Estação de tratamento de água nem tinha sido inaugurada ainda e dali pra cima era tudo barro e não asfaltadinho como é hoje e espero que não asfaltem mais mesmo,pois não tem por que asfaltar, praticamente não há casas dali pra cima do recanto silvestre. A ilha do sossego era muito visitada e hoje não existe mais, assim como a mina da prata que tudo mundo falava . eu tenho também um blog e se chama: vocecomundobem.wordpress.com sobre natureza e tudo mais,,, tenho gravações de músicas com violões e som de natureza que gostaria de divulgar e/ou presentear pessoas que se identificam com isso. me convide para outros passeios por gentileza e me informe dos mesmos se possível ? moro em floripa atualmente , mas to sempre por aqui . meu email é : rick.huewes@hotmail.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Rick!
      A região da Nova Rússia é muito linda, quero visitar mais vezes durante o ano. Tem um espacinho aqui no blog, o calendário, onde divulgo ações e atividades ambientais que serão realizadas em Blumenau e região. Se você souber de alguma, por favor entre em contato. Gostaria muito de ouvir suas músicas!
      Obrigada por comentar. =)

      Excluir

Olá, muito obrigada por passar aqui! Comente o que achou da postagem e em breve respondo.

© 2013 Sustenta Ações – Programação por Iunique Studio