12 mestres da sustentabilidade e o que aprender com eles

Por Letícia Maria Klein •
04 janeiro 2016

Mostrar que existem soluções para os problemas ambientais e nos inspirar a agir em nosso dia a dia é a proposta do livro “O homem que salvou Nova York da falta de água e outros 11 mestres da sustentabilidade”. Com uma escrita fluida e envolvente, o autor Rafael Morais Chiaravalloti descreve a trajetória de vida, os desafios e as conquistas de personalidades brasileiras e estrangeiras que fizeram ou fazem a diferença quando se trata de respeitar o ambiente e viver de maneira sustentável.

Cada capítulo é dividido em subtítulos, que organizam a narrativa e tornam a leitura mais dinâmica. Para explicar o impacto positivo que cada um destes atores sociais gerou, o autor precisou abordar contextos sociais, econômicos, políticos, culturais e ambientais, o que deixa a narrativa mais interessante e permite ao leitor ter uma visão sistêmica sobre os problemas e as soluções. Como eu gosto de saber de onde vêm as informações, senti falta da lista de referências ao fim do livro, importante para que o leitor possa ir atrás de outras fontes e aprofundar seus conhecimentos. 


Rafael, que é pesquisador do Instituto de Pesquisas Ecológicas (IPÊ) e foi finalista do prêmio Rolex Awards para jovens visionários de 2015, escolheu uma dúzia de pessoas (super-heróis sem superpoderes, como ele diz) que pensaram fora da caixa, que ousaram sonhar e realizar seus sonhos, que lutaram pelo que consideravam certo, que agiram em prol da coletividade, que saíram da zona de conforto, abraçaram uma missão de vida e escolheram um caminho diferente para o mundo.

Com Albert Appleton, aprendemos que “a única forma de se chegar ao impossível é acreditar que ele é possível”. Com Chico Mendes aprendemos que o bem e o certo podem perder algumas batalhas, mas sempre vencem a guerra. Com John Elkington aprendemos que o processo para um mundo melhor passa pelo entendimento da visão sistêmica. Com Ray Anderson aprendemos que preservação do meio e a economia são fortes aliadas. Com Claudio e Suzana Padua aprendemos que dinheiro e status nenhum valem mais do que a realização pessoal, a crença numa causa e a preservação da espécie.

Estes são apenas alguns dos muitos ensinamentos que aprendemos com estes e os outros mestres da sustentabilidade, que incluem Marcio Ayres, Roberto Waack, Harri Lorenzi, Patricia Pinho, Walfrido Tomas, Teresa Corsão e Ricardo Voltolini. Eles não têm os superpoderes típicos dos heróis de quadrinhos, mas, assim como cada um de nós, tiveram o poder de mudar a própria vida e a realidade que os cercava. O que eles fizeram foi ter determinação e vontade para tentar até conseguir. Dizem que o que te incomoda é aquilo que te motiva. Estas pessoas, como tantas outras por todo o mundo, são uma inspiração para que nós paremos de desviar os olhos do que nos incomoda e tomemos as atitudes necessárias para melhorar o cenário.

2 comentários:

  1. Prezada Leticia,

    Fiquei muito contente em ler o seu texto. É sempre muito legal saber a opinião das pessoas sobre as coisas que escrevemos. Muito obrigado e espero de verdade mesmo que tenho gostado da leitura.
    Concordo plenamente com você. Uma lista de bibliografias ao final seria muito bem vinda. Daria oportunidade para que os leitores se aprofundassem mais em cada tema. Muito obrigado pela dica.

    Um abração
    Rafael, autor do livro O Homem que salvou NY da falta de água!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Rafael! Que surpresa boa encontrá-lo aqui. Eu ia procurar teu contato para te falar da resenha, mas acabei esquecendo. Que bom que você me achou, hehehe.
      Gostei mesmo do livro, parabéns!
      De nada pela dica. ;) Legal saber que você achou interessante a questão das referências ao fim do livro. Considero que agrega valor à obra.
      Muito obrigada pelo comentário e volte sempre!
      Abraço.

      Excluir

Oi, tudo bem? Obrigada por passar aqui! O que achou do post? Comente aqui embaixo e participe da conversa.

© 2013 Sustenta Ações – Programação por Iunique Studio