Um pontinho azul no universo e uma bela mensagem

Por Letícia Maria Klein •
02 janeiro 2014

Eu sempre me interessei por astronomia. Ler e assistir a programas de TV sobre o assunto, ver estrelas à noite, admirar a lua. Nossa, adoro a lua! Mesmo de dia eu gosto de olhar o céu, me dá uma sensação boa, de liberdade. Até astronauta eu já quis ser (quem nunca, né, imaginação de criança é uma beleza!). Acho lindas as imagens do espaço, de planetas, constelações, galáxias. É fascinante! Mas um aspecto em particular sempre me chamou muito a atenção, principalmente em fotos: nós somos muito pequenos. Tá vendo esta foto aqui? Aquele pontinho brilhante no meio é a Terra

Fonte: O Eco

Somos grãos de areia, como disse Renato Russo. Esta foto, tirada em 2013 pela sonda Cassini, dá a exata dimensão disso. Nosso planeta parece um grãozinho de areia comparado com Saturno, que fica a 1,44 bilhão de quilômetros de distância. Essa foto coloca nossa vida em perspectiva. Aliás, este é um dos motivos pelos quais eu gosto de imagens de astros e estrelas: elas ajudam a colocar a vida, os problemas, os desafios, os sonhos, tudo em perspectiva. Nos fazem refletir sobre a existência, as relações, atitudes e comportamentos, sentimentos e emoções, sobre os outros e si mesmo.

Às vezes nos preocupamos demais com um problema ou nos estressamos muito com uma situação. Outras vezes brigamos com amigos ou familiares, dizemos palavras duras e não pensamos nos outros ou no coletivo. A verdade é que às vezes não pensamos antes de dizer ou fazer algo do qual nos arrependemos depois, né. Também acabamos dando valor demais às coisas materiais e valor de menos às pessoas e aos nossos relacionamentos. 

Ainda testemunhamos falta de valor, respeito e amor à natureza, ao planeta Terra, razão primária da nossa existência, da vida humana e de todas as espécies, pois é a mãe natureza que nos dá todas as condições para que possamos existir: ar, água, minerais, alimentos, energia. O mesmo planeta que sofre diariamente nas mãos de milhões de pessoas que destroem, desmatam, poluem, degradam, sujam, matam, que só pensam em si e no benefício próprio, esquecendo que fazem parte de uma cadeia, uma teia que tudo interliga e através da qual todos encaram as consequências de tamanha crise ambiental global.

Então, que a partir deste novo ano que se inicia, possamos aprender com a mensagem que a imagem ali em cima traz: humildade, respeito e gratidão. Antes de perder os cabelos por causa de um problema, devemos ver o todo, pensar na solução, no depois. De que vale tal situação de estresse ou dificuldade daqui a dez anos? Na maioria absoluta das vezes a resposta é que não vale nada. O meu problema não é o maior do mundo. Muitas vezes nem chega a ser problema, nós que colocamos empecilhos no caminho. Que possamos amar mais, perdoar mais, ter mais paciência e tolerância para com as pessoas, esquecer mágoas, fortalecer elos fraternos e de amizade, pensar mais nos outros e na coletividade do que apenas em si próprio e no seu próprio benefício. Que a pergunta “o que eu posso ganhar com isso” dê lugar a perguntas do tipo “como posso ajudar o outro a melhorar”, “como posso melhorar”.

Fonte: O Eco

Que possamos dar às coisas materiais o seu devido valor, de objetos que “pegamos emprestado” durante nossa vida na Terra. Na verdade, verdade mesmo, que possamos ir nos desapegando das coisas materiais e possuindo menos objetos em casa. Que a gente se apegue mais à vida, às experiências, às oportunidades, aos amigos, aos parentes, ao conhecimento, ao aprendizado, à generosidade, à sustentabilidade. A natureza e o planeta Terra agradecem cada gesto, cada ação que fazemos pensando neles e nas gerações futuras, seja um ato grande ou pequeno. Não importa o tamanho, o que importa é agir. Abrir mão de certos comodismos e ajudar, contribuir, melhorar o lugar em que vivemos, o que ajuda a melhorar o todo. Respeitar a natureza e as espécies que vivem no planeta. A Terra não é só dos humanos, precisamos nos lembrar disso. Vamos poupar, reduzir, reutilizar, reciclar, compartilhar. 

Pra finalizar, um trecho em vídeo do livro “Pálido ponto azul”, do astrônomo Carl Sagan. O nome do livro é como ficou conhecida a imagem acima, registrada pela nave Voyager 1, em 1990, a pedido de Carl, que foi um colaborador da Nasa. O escritor gravou em vídeo a passagem no livro que fala sobre o pálido ponto azul, que é o planeta Terra. Uma linda mensagem que nos faz refletir.


Desejo um ano maravilhoso a todos, cheio de felicidade, paz, amor, coragem, fé, boas experiências, oportunidades de ser melhor e fazer melhor a cada dia. Feliz 2014!

2 comentários:

  1. Anônimo1/03/2014

    Juh:

    Lindo post amiga, parabéns!

    Se os homens não conseguem nem colocar
    em pratica os ensinamentos de Jesus, que estão
    aqui já há 2 mil anos:" Amar ao próximo como a ti mesmo"
    imagina respeitar o planeta /:
    O caminho da sustentação infelizmente ainda é longo,
    mas você está de parabéns por já ter essa consciência
    e conseguir colocar em pratica, e agora com o blog como
    ferramenta para inspirar mais pessoas a seguir esse caminho.
    Te admiro por levantar essa bandeira, por sua simplicidade,
    e pelo seu amor a natureza e aos animais.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Ju!! Muito obrigada!!
      Justamente, os ensinamentos do Cristo estão conosco há dois mil anos como exemplo e os homens ainda machucam a si mesmos e ao planeta Terra. A luta é grande e o caminho e longo, mas vale a pena. Mais que isso, é preciso e urgente. E assim como " de grão em grão a galinha enche o papo" ou "um grão de arroz pode virar a balança, um homem pode fazer a diferença entre a vitória e a derrota" (como diz um personagem num filme da Disney), cada pessoa ajuda muito fazendo a sua parte. Se com o blog eu conseguir atingir ao menos uma pessoa, já fico feliz. =)
      Beijos.

      Excluir

Olá, muito obrigada por passar aqui! Contribua com a postagem e deixe um comentário!

© 2013 Sustenta Ações – Programação por Iunique Studio